Análise Ghost Manor (Atari 2600)

Rodrigo Reche

Introdução

Ghost Manor é um jogo de terror para Atari 2600 produzido pela Xonox e lançado no ano de 1983. O cartucho original era vendido juntamente com o jogo Spike’s Peak, e ele possuía dois lados para encaixar no console, cada um com o seu respectivo jogo.

Figura 1 - Cartucho Ghost Manor
Figura 1 – Cartucho Ghost Manor

Enredo

Um casal de amigos decide passar uma noite em uma mansão supostamente mal-assombrada por pura diversão. Afinal de contas o que poderia dar errado?

Já nas primeiras horas dentro da mansão um dos amigos é sequestrado pelo Conde Drácula e cabe ao seu parceiro partir em busca de um resgate heroico antes do amanhecer.

Diferentemente da grande maioria dos jogos lançados na época para o console da Atari o jogo conta com um enredo um pouco mais elaborado, um final para a estória, cinco estágios diferentes, com jogabilidades diferentes e também a opção de se escolher o personagem com o qual iremos jogar. Utilizando a chave de seleção de Color / Black or White do Atari 2600 era possível selecionar se iriamos jogar com o rapaz ou com a garota em nossa missão de resgate.

O Jogo também conta com 4 níveis de dificuldades diferentes que eram selecionados através das chaves de seleção na parte traseira do Atari (AA fácil, AB médio, BA difícil e BB muito difícil).

Fase a Fase

Estágio 1 – Cemitério

Após o início do jogo nosso personagem se encontra na área externa da mansão que pode ser vista ao fundo, em um cemitério e precisa perseguir e tocar em um fantasma (Níveis fácil e médio) ou um esqueleto (Níveis difícil e muito difícil).

A cada toque que conseguimos no fantasma ou esqueleto ganhamos uma lança que será utilizada no próximo  estágio. A quantidade de toques e lanças conseguidas varia de acordo com o nível de dificuldade. A única maneira de morrer nessa fase é se o tempo limite se esgotar e o dia amanhecer antes do resgate ser efetuado.

Estágio 2 – Frente da Mansão

Devidamente armado com as lanças adquiridas no estágio anterior precisamos limpar a frente da tenebrosa mansão para poder entrar e procurar por nosso parceiro desaparecido.

É preciso eliminar absolutamente todos os inimigos com um número limitado de disparos de acordo com a dificuldade escolhida. E enquanto vamos dando conta de caveiras, escorpiões, fantasmas e morcegos ainda precisamos fugir de uma múmia com um pesado machado.

Após todos os inimigos menores serem abatidos podemos finalmente disparar a última lança e acabar com a perigosa Múmia liberando assim a entrada para dentro da mansão.

Nesse estágio, se ficarmos sem lanças e não conseguirmos eliminar todas as ameaças é Game Over, se o tempo do jogo se esgotar e o dia amanhecer é Game Over e se a múmia nos acertar com seu pesado machado também é Game Over. Essa é sem dúvida a fase mais difícil do jogo.

Estágio 3 – Quarto 1 da Mansão

Agora nos encontramos finalmente dentro da mansão e o primeiro quarto conta com paredes vermelhas e alguns caixões espalhados pelo cômodo.

Nessa etapa precisamos procurar em todos os caixões em busca de uma cruz que irá auxiliar no embate final com o Drácula. Basta percorrer todos os caixões pressionando o famoso botão vermelho do controle do Atari. Caso você esteja procurando no caixão certo um som é ouvido e uma cruz é adicionada ao seu inventário que pode ser conferido na parte superior da tela. Existe apenas uma cruz por quarto. Sendo assim após ela ser encontrada podemos seguir adiante pela escada presente no estágio.

A procura dessa cruz não é obrigatória e podemos seguir para a próxima fase sem fazer a busca, mas a batalha final contra o Drácula ficará mais difícil pois você não contará com as cruzes adicionais e esse poder é limitado.

A ameaça aqui continua sendo o tempo que segue avançando madrugada a dentro e também uma parede móvel que percorre todo o quarto. Se essa parede nos atingir também é Game Over.

Estágio 4 – Quarto 2 da Mansão

Esse estágio é exatamente igual ao anterior com o mesmo objetivo, ou seja, buscar uma cruz adicional para a batalha final.

O diferencial aqui é apenas a cor das paredes, agora azul e a disposição dos caixões. Também temos duas escadas disponíveis, uma que leva para o quarto anterior e outra que leva para a batalha final contra o vampiro dentuço.

Estágio 5 – Os aposentos do Drácula

Ao chegar nos aposentos do drácula já é possível ver o seu companheiro preso em uma sela no canto superior esquerdo.

O Drácula começa sua perseguição atrás de você por todo o ambiente.

O objetivo aqui é utilizar o poder (limitado) das cruzes adquiridas anteriormente para repelir o vampirão e aprisionar ele na cela vazia no canto superior direito do cenário.

Para utilizar o poder da cruz basta pressionar o botão vermelho no controle. Se você for tocado pelo drácula ou se o tempo se esgotar, adivinhem…. sim é Game Over.

Após prender o Drácula na cela vazia o seu amigo é finalmente libertado e você deve guia-lo para fora da mansão através da escada central. Após isso a linda cena final com os dois amigos fora da mansão é exibida e o jogo finalmente termina.

Gráficos

Para a época do lançamento o jogo possui gráficos belíssimos onde é possível identificar cada elemento da tela, sem precisar de muita criatividade.

Comparado com clássicos da Atari como Adventure ou mesmo o Pitfall da Activision é possível perceber o salto na qualidade gráfica do jogo da Xonox.

Cores vivas e efeitos de mudanças de cores são presentes durante todo o jogo e não é possível perceber em nenhum momento o famoso efeito Flicker onde as imagens ficam piscando sem parar, tão presentes nos jogos dessa geração.

Sons

Outro diferencial de Ghost Manor é sua trilha sonora. Só o fato dela estar presente no jogo já é um diferencial enorme. Em uma época onde os jogos continham apenas efeitos sonoro, ter músicas diferentes presentes durante o gameplay é sensacional.

As músicas nos transmitem sensações de medo e urgência e os efeitos sonoros são assustadores aumentando ainda mais a imersão.

Jogabilidade

A jogabilidade é extremamente fluida, os controles são bem responsivos e a possibilidade de jogabilidades diferentes a cada estágio contribuem para que o jogo não se torne repetitivo apesar de curto.

Outro fator que ajuda muito no quesito replay aumentando assim a vida do jogo é a possibilidade de mudanças de dificuldade e também de seleção do personagem jogável. Eu não me lembro de nenhum outro jogo de Atari onde era possível escolher o personagem que seria jogável.

Considerações Finais

Ghost Manor sem dúvida nenhuma é um título que deve ser revisitado ou ainda ser experimentado pela primeira vez, já que muita gente não teve acesso a ele durante o lançamento por ser de uma produtora pouco conhecida e fora do eixo Atari / Activision.

Todas as inovações trazidas por ele o elevam a status de um dos melhores jogos lançados para o console da Atari. Infelizmente obscuro, mas ainda assim jogo sensacional.

Eu tive a oportunidade de jogar no console da Atari durante os anos 80 e eu do alto dos meus 4 ou 5 anos tinha muito medo desse jogo, mas adorava jogar. Analisando um pouco melhor e revisitando minhas memórias afetivas boa parte desse medo era por conta da maravilhosa trilha sonora e efeitos sonoros bem como pelos monstros conhecidos de todas as crianças como a múmia e o Drácula.

Sobre o Autor

Guilherme Ferrari

NA VIDA TUDO É PASSAGEIRO, MENOS O MOTORISTA E O COBRADOR.
administrator
Próxima postagem

Fliperama de Boteco - Veja Você #2

Introdução Ghost Manor é um jogo de terror para Atari 2600 produzido pela Xonox e lançado no ano de 1983. O cartucho original era vendido juntamente com o jogo Spike’s Peak, e ele possuía dois lados para encaixar no console, cada um com o seu respectivo jogo. Enredo Um casal […]
Fliperama de Boteco - Veja Você #2 Padrim