Locadoras: Minha primeira experiência com cartuchos alugados

Rodrigo Reche

Em 1986 só tinha uma locadora perto de casa. Se chamava Grand Vídeo, ficava na Vila Zelina (Zona Leste de São Paulo) e o símbolo era uma enorme águia com as asas abertas. Não tínhamos um vídeo cassete em casa nessa época, mas mesmo assim meu pai fez a carteirinha para que pudéssemos alugar jogos de Atari em cartucho.

Era muito complicado escolher os jogos porque ao chegar na locadora havia apenas uma coluna com algumas fichas de papel cartão onde era possível apenas ler o nome dos jogos disponíveis. Não tinha nada a mais de informação, como a arte do cartucho ou mesmo alguma Screenshot do jogo. Após alguns minutos com meu pai pacientemente lendo os nomes datilografados nas fichas de papel cartão tomei a decisão.

O título escolhido foi Mr. Postman.

Mr. Postman do Atari 2600
Mr. Postman do Atari 2600

Cheguei em casa ainda sem ter ideia do tipo de jogo que eu havia escolhido, mas nem por isso menos ansioso. Para minha sorte eu acabei gostando do jogo e me diverti bastante, mas era muito difícil acertar na escolha.

E foi assim minha primeira experiência com cartuchos alugados.

Poucos anos depois com a chegada do Master System na minha casa as idas para as locadoras acabaram se tornando mais frequentes. Mas mesmo após alguns anos as locadoras que tinham jogos de Videogames para locação não eram muito comuns. A oferta era realmente limitada. Mas sendo as locadoras minha única fonte de jogos novos para o Master eu acabava convencendo meu pai a fazer carteirinhas em todas as locadoras que eu encontrava pelos caminhos.

Uma delas, muito grande por sinal, era a Real Vídeo na Mooca. Passei de carro com meu pai uma vez em frente e fiquei impressionado pelo tamanho da fachada. Aquilo imediatamente chamou minha atenção. Eu sequer fazia ideia se ali também tinham jogos de videogames para locação ou apenas filmes em VHS.

A locadora não era muito perto de casa e por isso meu pai estava relutante em fazer a carteirinha. Foi necessário usar todo o meu poder de persuasão e de tanto insistir meu pai acabou parando na Real Vídeo no caminho de volta para ver se tinham jogos de Videogames disponíveis. Ao entrar no estabelecimento fiquei maravilhado com o tamanho daquele lugar. Era algo que ocupava quase metade de um quarteirão.

Eram tantos filmes ali cuidadosamente arrumados nas prateleiras. Algo que eu nunca tinha visto igual. Meus olhos percorriam cada corredor em busca de algum indício de que ali teriam jogos de Master System para alugar.

Após alguns minutos um pouco perdido em meio a tantos filmes uma gentil funcionária se aproximou e perguntou se precisávamos de ajuda. Eu no alto dos meus 8 anos tomei a frente e respondi:

— Estou procurando por jogos de Master System para alugar.

Com um sorriso no rosto ela me respondeu apontando para o outro extremo da loja:

— Temos sim, mas vocês estão no lado oposto. Os jogos de Videogames ficam naquele canto.

Não era possível enxergar o local de onde eu estava. Muito por conta do meu tamanho. Mas naquele mesmo instante agradeci e parti em disparada para a lugar apontado pela gentil funcionária. Ao chegar próximo ao local indicado já era possível vislumbrar prateleiras e mais prateleiras de jogos de Master System. Sinceramente eu nunca tinha visto na minha vida uma variedade tão grande de jogos no mesmo lugar. Comecei a percorrer a prateleira sem saber ao certo qual jogo levar. Muitos eu sequer tinha visto.

Foi então que meu pai olhou para mim e disse:

— Hoje você pode escolher dois jogos para levar. Vai escolhendo que eu vou cuidar da carteirinha.

Era bom demais para ser verdade. Além de ter uma infinidade de títulos para escolher eu ainda poderia escolher dois jogos! O primeiro foi fácil e decidi em poucos minutos Golden Axe (FDB #04 – Golden Axe parte 1/2FDB #15 – Golden Axe parte 2/2). Eu já conhecia a versão de Arcade, mas não fazia ideia de que tinha um port para o Master System.

O segundo jogo demorou um pouco mais e acabou sendo Wanted para jogar com a Light Phaser. Fui para casa super feliz e pude jogar o fim de semana todo. Infelizmente não voltei muitas vezes a essa locadora justamente por ser um pouco mais longe de onde morávamos e em pouco tempo acabamos nos mudando para um bairro um pouco mais distante. Com a mudança para o novo bairro novos horizontes se abriram uma vez que eu tinha uma vizinhança inteira para percorrer e procurar por novas locadoras.

E assim foi comecei a fazer novas carteirinhas pelo bairro e alguns anos depois ganhei meu Turbo Game, um clone nacional do NES fabricado pela CCE. Com os dois consoles era possível intercalar com locações de jogos para o Master e para o NES.

Turbo Game da CCE
Turbo Game da CCE

Com pouco tempo morando na Vila Diva eu já era conhecido em quase todas as locadoras do bairro. Eu alugava fitas todas as quartas-feiras e também aos sábados para devolver na segunda e jogar durante o fim de semana.

Minha locadora favorita perto da nova casa se chamava Dica Vídeo. Três irmãs eram as donas. Lá eu tinha a minha disposição jogos de Master, NES e ainda alguns filmes em VHS que eu alugava de vez em quando já que agora também tínhamos um vídeo cassete.

De tanto frequentar a locadora acabei fazendo uma amizade legal com as donas. Como elas não conheciam muito de Videogames me pediam algumas sugestões de quais jogos comprar e quando tinham algum problema com cartuchos me pediam para testar. Então:

Normalmente os cartuchos supostamente com problemas funcionavam após uma boa limpeza de contatos e eu podia jogar de graça por um dia.

Com a chegada da geração 32 Bits e das Lan Houses a maioria das locadoras do bairro fecharam. Inclusive a Dica Vídeo que eu tanto gostava. Como eu tinha bastante contato com as irmãs elas acabaram me vendendo quase todos os jogos de Master System por um preço bem abaixo da média.

Ironia ou não a maioria dos jogos que eu aluguei inúmeras vezes acabaram fazendo parte da minha coleção.

Hoje temos quase todos os jogos a nossa disposição no dia do lançamento. Quando falamos de emuladores então, temos toda a biblioteca dos consoles antigos disponíveis ao alcance de 1 click. Mas ainda assim sinto falta daquela atmosfera das locadoras e da emoção de passar dias procurando por aquele jogo específico para alugar no fim de semana esperando a porta da locadora se abrir.

Sobre o Autor

Guilherme Ferrari

NA VIDA TUDO É PASSAGEIRO, MENOS O MOTORISTA E O COBRADOR.
administrator
Próxima postagem

Fliperama de Boteco #177 - Dossiê: Atari 2600

Em 1986 só tinha uma locadora perto de casa. Se chamava Grand Vídeo, ficava na Vila Zelina (Zona Leste de São Paulo) e o símbolo era uma enorme águia com as asas abertas. Não tínhamos um vídeo cassete em casa nessa época, mas mesmo assim meu pai fez a carteirinha […]
Fliperama de Boteco #177 - Dossiê: Atari 2600