Holy Diver, o Jogo do NES que demorou quase 30 anos para chegar no ocidente

Salve Fliperameiros! Tudo bem com vocês? Nessa semana vamos falar sobre o jogo Holy Diver: um jogo estilo Castlevania, difícil pra caramba, com temática metaleira headbanger from Hell que depois de 29 anos finalmente foi lançado no ocidente.

Tela de abertura do Holy Diver
Tela de abertura do game

História

Era o ano 666 no World of Magic e o Crimson Kingdom estava sofrendo a destruição pela mãos do Black Slayer: o demônio rei do Dark Empire. Vendo que seus dias estavam no fim, o 16 ° imperador de Crimson, Ronie IV confia a seu fiel escudeiro Ozzy a guarda de seus filhos Randy e Zakk, bem como o seu treinamento na causa da justiça mágica.

Dezessete anos se passam, Zakk sumiu e Ozzy faleceu. Randy parte em busca dos cinco selos que, se reunidos, lhe darão uma mísera chance contra o Black Slayer, que no passar dos anos, tomou conta do reino e fortaleceu suas forças interdimensionais.

Com esse plot totalmente headbanger foi lançado, em terras nipônicas o game: Holy Diver para Famicom (NES). O  game foi desenvolvido e publicado pela Irem em 28 de abril de 1989, que ficou conhecida pela franquia R-Type.

Edição Especial

Devido a questões da política de censura da Nintendo of America naquela época quanto ao uso extensivo de símbolos religiosos entre outros “problemas”, este game não teve o seu lançamento no ocidente. Entretanto, 29 anos depois, em abril de 2018, a empresa especializada em retrogaming, a Retro-bit, pode nos presentear com o lançamento desta joia rara para NES no seu cartucho de 72 pinos. O lote de abril já acabou, mas para quem se interessar aí vai a edição de colecionador (site Castlemania) por 59.99 US.

Kit da Edição de Colecionador do jogo Holy Diver
Kit Edição de colecionador

Sua versão japonesa, é considerada um dos games raros da coleção do Famicom, chegando a custar algumas centenas de dólares nos Ebays da vida.

Jogabilidade

O game é um action plataforming que lembra muito Castlevania, mas com uma dificuldade bem elevada. São seis estágios baseados em castelos, cavernas e florestas. A cada selo coletado adiciona uma magia à Randy: Twin Fire, Blizzard, Rock Breaker, Overdrive e Thunder. Além disso, ele consegue alguns itens de poder como braceletes, botas de pulo, capa de proteção e uma metamorfose para dragão!

Algumas telas do jogo

Estas magias, assim como os poderes adquiridos a cada boss em Megaman, ajudam o avanço no decorrer das fases e na batalha contra os chefes.

  • Twin Fire – Já inicia com o poder deste selo, em vez de uma bola de fogo, são lançadas duas que se entrelaçam ao longo de seu trajeto. Lembrando que é necessário “mana” para lançar a magia dos selos.
  • Blizzard – Após derrotar o primeiro boss, este selo tem o poder de congelar os movimentos dos inimigos e transformar lava em gelo.
  • Rock Breaker – Após derrotar o segundo boss, esta magia gera uma esfera que dispara uma rajada de projeteis a partir de onde ela foi iniciada.
  • Overdrive – Após derrotar o terceiro boss, cria duas serras que ficam orbitando Randy.
  • Thunder – Após a queda do quarto boss, o poder adquirido destrói todos os inimigos ao redor.

Trilha Sonora

Foi composta por Masahiko Ishida, um musico japonês que em sua passagem pela IREM criou uma engine sonora para desenvolver as trilhas de seus jogos. Entre alguns trabalhos feitos pelo Masahiko está R-type II do arcade e Ninja Spirit do Pc-engine.

Segundo os fãs do game, ela é uma das melhores do nintendinho. Chega a lembrar mesmo uma banda de NWOBHM (New Wave of British Heavy Metal) tocando a todo o vapor em chiptune.

Para quem quiser conhecer, aí segue o link da trilha sonora.

Disclaimer

Trata-se de um game difícil. Às vezes dá a sensação de estar jogando um Castlevania bullet hell pela quantidade e velocidade de inimigos, mas aprendendo o padrão de movimentação deles, o jogo se torna mais acessível para jogar. Neste quesito, Ninja Gaiden lembra bem essa questão de memorizar os padrões dos inimigos.

Cada magia adquirida pelos selos recuperados dá um sensação de satisfação muito boa, pois ela realmente faz a diferença no gameplay.  Principalmente a Blizzard, que pode congelar o inferno, e por fim a Rock Breaker que é praticamente uma metralhadora de bolas de fogo. Ou seja, você sente que seu personagem está ficando cada vez mais forte.

Apesar de ser homônimo ao álbum do Dio, o jogo não carrega qualquer conexão oficial com o mesmo. Principais referências: Ozzy (Osbourne), o imperador Ronnie (James Dio), os filhos Zakk (Wylde) e Randy (Roads), Slayer, King Crimson, cruzes, magias, dragões e reinos. Um prato cheio pra quem aprecia a temática. Sem falar que a trilha sonora foi um belíssimo trabalho do Senhor Masahiko Ishida.

Digo que vale muito a pena visitar este clássico underground! Então preparem os dedos! Muita ginástica e treinamento!

Atenção SPOILER!

Como duas guitarras soam melhor que uma, aí vai um pequeno spoiler da história: Zakk ainda vive!!!

Será que Randy vai conseguir juntar os selos? Será que a paz voltará ao reino? Será que a memória de Ronnie será honrada???

Roubadinha de Boteco

Já que o jogo é dos difíceis, aí vai uma roubadinha: no início do game, suba no topo dá arvore e pause o game com “start”. Agora no controle 2, aperte A+B e aperte start no controle 1 novamente. Toda vez que é feito isso, Randy ganha uma vida extra.

Até a próxima!!!

Sobre o Autor

Guilherme Ferrari

NA VIDA TUDO É PASSAGEIRO, MENOS O MOTORISTA E O COBRADOR.
administrator
Próxima postagem

FDB #147 - Isso me Irrita

Salve Fliperameiros! Tudo bem com vocês? Nessa semana vamos falar sobre o jogo Holy Diver: um jogo estilo Castlevania, difícil pra caramba, com temática metaleira headbanger from Hell que depois de 29 anos finalmente foi lançado no ocidente. História Era o ano 666 no World of Magic e o Crimson […]
FDB #147 - Isso me Irrita